domingo, 30 de setembro de 2012

Coitados dos comboios

Foto Hernâni Von Doellinger

"Greve na CP vai perturbar comboios a partir de segunda-feira", diz o Público.

Poupando trabalho à língua do professor Borges

Há no Governo um secretário de Estado chamado Paulo Júlio. Eu não sabia. É o secretário de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, do ministério do Relvas. O Sr. Paulo Júlio, que tem cara de boa pessoa (no mínimo), garante que cerca de mil juntas de freguesia vão desaparecer, "sem nenhuma dúvida", até ao final do ano.
Para o caso de o Sr. Paulo Júlio vir a ter que enfiar esta redução de mil juntas de freguesia até ao final do ano no mesmo sítio onde o Governo já enfiou o truque da TSU, adianto serviço e declaro desde já que o desaparecimento de mil juntas de freguesia até ao final do ano é uma medida fina como um alho e os autarcas e fregueses que estão contra ela são umas grandessíssimas bestas. Assim poupo trabalho à língua do professor Borges. Sem dúvida nenhuma.

Lugares-comuns 5

Foto Hernâni Von Doellinger

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Estou mesmo a ver o filme 2

Foto Hernâni Von Doellinger

Quando os jornalistas não contam

O bastonário da Ordem dos Advogados e a ministra da Justiça não se gramam. E portam-se mal quando falam um do outro. Se calhar é amor.
Na ressaca da catarse de Paula Teixeira da Cruz a propósito das buscas da PJ aos ex-ministros do PS, Marinho Pinto defendeu que "era bom" para o País e para a justiça que a ministra se demitisse. "Mas eu não vou pedir isso publicamente", disse o bastonário. Disse aos jornalistas. No Porto. Portanto no maior secretismo. Em Lisboa isto seria uma declaração oficial, pública e notória; cá em cima é apenas um desabafo particular, conversa de amigos. E os jornalistas não contam. Brincalhão!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Lugares-comuns 3

Foto Hernâni Von Doellinger

Ora ainda bem que me faz essa pergunta

As cadeias estão sobrelotadas. Os autodenominados Reclusos Anónimos Organizados tornaram público um manifesto exigindo melhores condições prisionais, a concessão de uma amnistia e o perdão de penas - como se não percebessem que estão de castigo. Para além disso, marcaram uma greve de fome que foi um fiasco e uma greve ao trabalho que não se sabe como é que está a correr. Isto foi notícia.
Nem de propósito, a ministra da Justiça visitou ontem o Estabelecimento Prisional de Caxias e, à saída, os jornalistas perguntaram-lhe... pela investigação do Ministério Público às parcerias público-privadas (PPP), isto é, ao PS. Paula Teixeira da Cruz agradeceu a oportuna questão e disse esperar que "todo o apuramento da responsabilidade vá até ao fim", garantindo que "ninguém está acima da lei, sejam ex ou actuais", que "tudo deve ser investigado" e que "acabou o tempo em que havia impunidade". Ufa, foi por pouco! As agendas da comunicação social são mesmo assim e às vezes até dão jeito. Também não era o momento para se falar da situação nas cadeias portuguesas, pois não?

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Tiro no submarino

As buscas nas casas dos ex-ministros e secretário de Estado do PS foram debalde. Os agentes da PJ encontraram apenas papelada sem importância relativa ao negócio dos submarinos de Paulo Portas, a caderneta de poupanças de Isaltino Morais, 248 fascículos da história do BPN para crianças e, num compartimento secreto, dois ou três penáltis alegadamente roubados ao Benfica. Mário Lino, António Mendonça e Paulo Campos são gente asseada e avisada. Toda a vida à espera de visitas, há que tempos que as limpezas estavam feitas.

A juventude é uma coisa muito relativa

Juventude é, basicamente, o período que vai da infância à maturidade. É a mocidade, a adolescência. Um tempo de aprendizagem e de formação de carácter. É-se jovem, grosso modo, entre os 15 e os 24 anos. Este é o entendimento geral. As excepções são as jotas partidárias.
Duarte Marques tem 31 anos e lidera a JSD. Pedro Delgado Alves tem 32 anos e é o secretário-geral da JS. Miguel Pires da Silva tem 29 anos e é o presidente da Juventude Popular. Terão algum atraso? Parece que não.
Apesar de tão "jovens", e por definição imaturos, Duarte, Pedro e Miguel são já políticos profissionais. Os dois primeiros são deputados na Assembleia da República e o do CDS é vereador na Câmara de Ponte de Lima. Assim, de cadeira, com ordenado jeitoso e certo, longe do povo e da vida (mais uns do que o outro), a aprenderem a ser primeiros-ministros. Depois dá no que deu.

Eu sei. "A juventude é apenas uma palavra", como dizia o sociólogo francês Pierre Bourdieu (1930-2002). Ou é uma coisa muito relativa, como digo deu. Tão só palavra e relativa que até serve para manipular a opinião pública e os sentimentos das pessoas, umas vezes mais ou menos subliminarmente, outras vezes às escâncaras. Têm visto as notícias? "Homem de 18 anos deu duas facadas...", "Jovem de 27 anos vítima de...". Têm visto?

Lugares-comuns 2

Foto Hernâni Von Doellinger

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Por falar nisso

Foto Hernâni Von Doellinger

Se não chover, ainda vai estar uma rica noite de sol

Há no Governo um secretário de Estado chamado Sérgio Silva Monteiro. Eu não sabia. É o secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, do superministério do mini-Álvaro. O Sr. Sérgio Silva Monteiro, que tem cara de boa pessoa, prometeu ontem, em Coimbra, que "todas as regiões que foram até agora desfavorecidas do ponto de vista da mobilidade e de investimento público vão ver-se beneficiadas no futuro, certamente". Pois certamente.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Miguel Macedo, o formigo 2

Era só para esclarecer o seguinte: quando digo que Miguel Macedo toda a vida mamou na teta da política, que nunca precisou de ter um emprego como as pessoas e que, já ministro, se aboletou a um chorudo subsídio a que eticamente não tinha direito, quero apenas significar a minha mais profunda e sincera homenagem a todos os pequenos e médios políticos portugueses - e em especial ao próprio Miguel Macedo -, pelo trabalho insano e desinteressado que desenvolvem em prol do País. Era só isto e mais nada. Muito obrigado.

São uns atrás dos outros

Foto Hernâni Von Doellinger

domingo, 23 de setembro de 2012

Miguel Macedo, o formigo

Miguel Macedo é militante do PSD desde pequenino. Foi dirigente da JSD e aos 28 anos já mamava como deputado. Foi vereador, secretário de Estado, secretário-geral e líder parlamentar social-democrata e agora é ministro. Quando é que este tipo trabalhou como as pessoas? Quando é que este indivíduo teve um emprego honesto? Ele, que, enquanto não se soube cá fora, andou a moinar um chorudo subsídio a que não tinha direito. Quem é esta criatura para vir ralhar aos portugueses com a história da cigarra e da formiga?

(Mais em Miguel Macedo, o formigo 2)

Um Governo que até manda chover. Ugh!

Miguel de La Fontaine Macedo, ministro da Administração Interna, manifestou-se feliz pela chegada da chuva. Mais um excelente trabalho da equipa de feiticeiros do Governo. Ugh!

Estou mesmo a ver o filme

Foto Hernâni Von Doellinger
Foto Hernâni Von Doellinger

sábado, 22 de setembro de 2012

Milagre! A escola transformou-se em capela.

Parece que as pedras da Escola da Feira Velha, demolida em 2008, deram para construir uma capela particular. O que parece que está a provocar alguma comoção em Fafe. Eu fiz a quinta classe na Escola da Feira Velha - sim, houve um tempo em que a quinta e a sexta classes eram o liceu dos pobres - e confesso que o destino alegadamente dado aos escolares pedregulhos não me aflige a memória. A pedra tinha que ir para algum lado e não estamos propriamente a falar do Mosteiro dos Jerónimos.
A asneira, na verdade, fora consumada antes, quando os iluminados da treta resolveram deitar a escola abaixo.
Agora, a Câmara vendeu a pedra? Não vejo defeito nisso. Vendeu-a pelo melhor preço? Fez a sua obrigação. Deu-a a um amigo? Houve trafulhice no negócio? A pedra foi roubada? Então é preciso averiguar e depois agir em conformidade (como se tal fosse possível em Portugal...). A Câmara tem que explicar-se? Claro. O problema é a capela ser "privada"? Ó valha-me Deus...
O meu incómodo é outro - é a "capela" ela própria, feia de morrer, um susto. Uma aberração arquitectónica. Como é que foi possível terem deixado construir uma coisa de tão mau gosto? Quem deu licença? Os responsáveis por este crime deviam ser imediatamente presos.

Foto ATRIUMEMORIA

Quando eu contar até três

Foto Hernâni Von Doellinger

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Quando os filhos são fruto do relacionamento

Joana Solnado deu à luz uma menina. O Diário de Notícias esclarece que "a bebé é fruto do relacionamento" da actriz com o chef Nuno Queiroz Ribeiro. É para o que estão os relacionamentos.

Só me gozam

Olhando para a merda que estão a fazer, o PSD e o CDS decidiram criar um grupo de acompanhamento da coligação e é o melhor que têm para dar ao País. O grupo de acompanhamento é formado exclusivamente por cães-guias para cegos. Os cães foram treinados na Alemanha.
Estes gajos só me gozam.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Adeus mãezinha vou partir

                                                                                       Foto Hernâni Von Doellinger

Grande fretada, ó Mexia

Os portugueses estão contra as mexidas anunciadas para a TSU. O clero, a nobreza e o povo estão contra. O Bloco de Esquerda também. O PCP também. O PS também. O CDS também. O PSD também. Mário Soares também (mas isso...). Ministros do Governo que quer mexer na TSU também. Os sindicatos também. Os patrões também. O Conselho Económico e Social também. Os outros especialistas também. Todos dizem que a medida avançada pelo primeiro-ministro não melhora a situação do País e das pessoas, só piora. Mas apareceu agora uma voz peregrina, com uma lâmpada acesa em cima da cabeça: a voz e a cabeça de António Mexia, presidente da EDP, que admite baixar o preço da electricidade se se confirmar a redução da TSU para as empresas. Estão a ver como afinal Passos Coelho só nos quer fazer bem?

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Marques Mendes está lançado, tem 48 por cento

Luís Marques Mendes tem mais que fazer, mas em Fafe há uma vaga de fundo para que seja ele o candidato do PSD à Câmara Municipal nas eleições do próximo ano. Uma poderosa vaga de fundo, bem expressa nos resultados de uma "sondagem" do blogue Jornal de Fafe, que ontem mesmo divulgou os números indesmentíveis.
A pergunta para os "e-votantes" era: "Qual destes militantes do PSD é o melhor candidato à presidência da Câmara Municipal de Fafe?", e seguiam-se seis-nomes-seis, e o do Luisinho por acaso até era o último. Mas querem saber a melhor? O ex-líder social-democrata, advogado, administrador de empresas, conselheiro de Estado, escritor, lobista, comentador da TVI e etc. deu uma abada: foi "o candidato mais votado", com 48 por cento dos votos, exactamente o dobro do segundo classificado. Imaginem a capilota: 48 (quarenta e oito) contra 24 (vinte e quatro). Praticamente capote, não é?
Concretizando: Marques Mendes, "o escolhido", abarbatou 12 votos (doze votos) e o outro recebeu a esmola de apenas seis (6 votos). Com efeito, a "sondagem" teve a participação de... 25 votantes (vinte e cinco votantes). Duas equipas de futebol sem suplentes e três polícias.
Nada que desmoralize o blogue Jornal de Fafe, e só lhe dou valor. "A sondagem não fora expressiva a avaliar pelo número de votos", assinala o prezado colega, sem rebuço nem gramática, mas os resultados lá estão, verdades como punhos. Como setas. "A procissão ainda vai no adro, mas talvez seja uma indicação à qual os laranjas não devem ficar indiferentes", complementa o analista, fechando a prosa com chave de ouro. Isto é ciência política, isto é sabedoria. Uma vaga de fundo é isto. E Marques Mendes não pode dizer não aos seus 12 primos. Ou terá sido sempre o mesmo?

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Os novos gamas e cabrais. São oitenta e voltam já.

A notícia causou compreensível alvoroço. "Já está no mar a maior expedição científica dos últimos 20 anos às Berlengas". E é nossa. Repete-se: "A maior expedição oceanográfica dos últimos 20 anos já está a caminho". Nas próximas duas semanas - duas eternas semanas - , 80 pessoas vão fazer o levantamento exaustivo da vida marinha das ilhas, ... "a bordo do navio Creoula".

domingo, 16 de setembro de 2012

Marcelo Rebelo de Sousa, o venenoso

"Portas entalou o primeiro-ministro. Mas Passos Coelho que não pense que vai entalar Paulo Portas. Eles estão condenados a viver abraçados um ao outro". Disse Marcelo na TVI. E desta vez é capaz de ter razão. Pois se o PSD até vai reunir os órgãos...

Deixa estar, Paulo, que eu entrego o recado

Paulo Portas. O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros deu um saltinho a Portugal e, antes de partir, deixou um recado: exige que o Governo tenha "uma posição de abertura para avaliar a situação [da Taxa Social Única (TSU) e do Orçamento de Estado] com os parceiros sociais e com as instituições do País". Está descansado, Paulo, vai lá à tua vida: se eu vir o Governo, digo que vou da tua parte e entrego o recado. Mas é uma pena vocês não conversarem.

Fafe já não tem piononos

                                                  Foto GASPAR DE JESUS

No monte de São Jorge havia um pionono. E constava que havia outro no monte de Castelhão. Fui testemunha de ambos, embora o segundo possa não ter existido. O pionono, para mim, era uma espécie de meco que ajudava montes de pouca monta a chegarem-se a uma certa altura, a uma altura certa, a um número redondo que desse jeito de dizer. Depois soube do Pio IX, mas nunca percebi a relação, e acho um insulto chamar-lhe marco geodésico. Ao papa.
Assim com maiúscula, o Pionono era exactamente em São Jorge, é justo que se diga. Pionono era nome próprio, sítio, geografia. "Vou ao Pionono". Ia-se ao Pionono. Ia-se aos pinheiros pelo Natal, ia-se aos fentos para o eido ou às giestas secas para espertar a lareira do chão da cozinha, ia-se cagar e ia-se dar umas trancadas, e o que eu gostava da palavra trancadas sem perceber um caralho do que ela queria dizer.
(As giestas também davam umas vassouras de categoria e o Trancadas era um barbeiro mesmo ao lado do tasco do Neca do Hotel, o que se revelava de uma comodidade extrema. Por falar nisso, lembro-me de descer um degrauzinho, mais cá para o centro da vila, ali entre a loja da Rosindinha Catequista e a Cafelândia, mas esse era o Sr. António Grande, o segundo barbeiro do meu padrinho Américo. Eu ia lá com o meu padrinho mais o meu tio Zé da Bomba, aos sábados de manhã, que naquele tempo eram sempre de sol. Lia-se "O Primeiro de Janeiro", mal eu sabia que ainda o havia de fazer. O meu padrinho Américo e o meu tio Zé da Bomba eram irmãos do meu pai, o grande Lando Bomba, e depois foram meus pais, à falta do propriamente dito.)
Hoje os montes de São Jorge e de Castelhão são casas e é o progresso. Fafe já não tem piononos. Mas, dizem-me, tem ainda a "Garrafinha" e historiadores até dar com um pau. Um deles, quem dera que não chova, ainda há-de contar esta como deve ser.

P.S. - Pio-nono será a forma "correcta" de escrever, se nos referirmos ao meco. Mas pionono pode ser também nome de doce muito popular em Espanha, na América Latina e nas Filipinas.

sábado, 15 de setembro de 2012

A CMVM e os 40 milhões

Carlos Tavares, presidente da Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários, disse hoje que pediu informações adicionais sobre as vendas dos futebolistas Witsel e Hulk com base em "dúvidas colocadas publicamente" sobre os dois negócios. A CMVM, explicou o responsável, tem "de garantir que aquilo que as SAD, neste caso do Benfica e do FC Porto, receberam é aquilo que está referido publicamente como tendo recebido".
Compreendo. E então? O que de facto Porto e Benfica receberam, ou vão receber, é o que mandaram dizer cá para fora? Quem é que está a aldrabar o mercado? Quais são os 40 milhões que valem mais? Os da Bola e do Benfica ou os do Pinto da Costa e do Porto? Pode saber-se?

A porta da rua é a serventia da casa

É já um clássico. Pedro Passos Coelho a entrar pelas portas dos fundos, disfarçado de disfarçado, borrado de medo de enfrentar o povo. Foi assim ontem outra vez, numa fábrica de chocolates de Vila do Conde. Lá dentro, cheio de paredes e costas quentes, o alegado primeiro-ministro teve um tirada que lhe pode vir a ser fatal. Disse ele, mais lerdinho era impossível: "Aqueles que realmente se preocupam [com o País] não podem ficar em casa, não podem ficar envergonhados, não se podem retrair, têm que falar publicamente". Disse ele (ninguém o avisa da toléria?), na véspera das manifs marcadas para mais de 30 cidades, contra a troika e seus asseclas. Façamos-lhe então a involuntária vontade, ó gente preocupada: que ninguém fique hoje em casa, que ninguém se cale. Mais dia menos dia, será também pela porta dos fundos que Passos Coelho há-de sair. De vez.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Fafe dá a partida ao Portugal de Lés-a-Lés 2013

Foto ERNESTO BROCHADO
Estreia absoluta e em grande. Fafe será o ponto de concentração e partida da 15.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés, o maior evento mototurístico da Europa, que vai animar o centro da cidade e montes circundantes. Um dia inteiro: 8 de Junho de 2013, com verificações técnicas e documentais, prólogo e... jantar. A aventura, envolvendo mais de mil mototuristas, rolará depois à descoberta do País até ao feriado de 10 de Junho.
As coisas correrão assim, de acordo com nota informativa do Gabinete de Imprensa do 15.º Portugal de Lés-a-Lés, aqui avançada em primeira mão:

"Afamada pela longa e intensa ligação ao universo motorizado, com destaque para as inesquecíveis jornadas do Rali de Portugal, Fafe será palco da grande partida da 15.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés, em 2013. Verdadeira sala de visitas do Minho que vai receber a enorme caravana de participantes no maior evento mototurístico da Europa, organizado pela Federação de Motociclismo de Portugal. 
Em ano de várias novidades, a cidade minhota marca estreia como anfitriã do Portugal de Lés-a-Lés, com palanque de partida montado bem no coração de Fafe, na Praça 25 de Abril, espaço ajardinado diante da Arcada que servirá de cenário também para as verificações técnicas e documentais. Ponto de partida também para um prólogo curto mas bastante interessante, permitindo iniciar as indispensáveis verificações apenas à hora de almoço, de modo a que os aventureiros possam viajar para Fafe no próprio dia. E em que dia será? Pois bem, essa é a outra novidade divulgada pela Comissão de Mototurismo da Federação de Motociclismo de Portugal, obrigada a reajuste de calendário devido à supressão do feriado do Corpo de Deus.
Assim, e por força da imposição governamental, o Lés-a-Lés deixará de ter o figurino que desde sempre enformou a sua realização, entre quinta-feira (feriado) e sábado, deixando o domingo livre para a viagem de regresso. Em 2013, o Portugal de Lés-a-Lés terá início a 8 de Junho, sábado, dia dedicado às verificações e à realização do prólogo, com a primeira etapa no dia 9 a contemplar a travessia do Douro Litoral e Beiras após a partida de Fafe. A segunda tirada, a 10 de Junho, aproveitando a segunda-feira, feriado dedicado ao Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesa, para efectuar a quente travessia do Alentejo rumo ao Algarve.
Ponto final de uma viagem que, ao longo de três dias, promete revelar mais segredos de um País repleto de motivos de interesse, em jornada de intensa animação, aventura e descoberta. A começar, claro está, pela região fafense, da famosa estátua da Justiça de Fafe à belíssima barragem de Queimadela, com passagem pelas montanhosas freguesias do concelho, onde os carvalhais e grandes rochedos que durante anos enquadraram as potentes máquinas do Rali de Portugal servirão de fundo às fotografias de mais de 1000 mototuristas. Prólogo curto mas intenso, já se sabe, oferecedor das primeiras histórias para partilhar ao jantar, na noite de sábado, ainda e sempre na cidade de Fafe."

Ernesto Brochado, do Lés-a-Lés, e Vítor Moreira, vereador da Câmara de Fafe

Voando em terra firme

Foto Hernâni Von Doellinger

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Se os entendidos fossem pobres...

- "Gostava que Vítor Gaspar chegasse rapidamente à conclusão de que o País não é uma equação abstracta, é uma realidade concreta". Tarrenego!, 4 de Setembro de 2011.
- "Passos Coelho [..] não tem a mínima ideia do que faz e, tomem nota, está à beira de dar o tilt". Tarrenego!, 14 de Outubro de 2011.

Um ano depois, os entendidos concluíram que o Pedro e o Vítor estão a fazer "experimentalismo social" à custa dos portugueses, que Passos Coelho é um primeiro-ministro "impreparado" e que o Governo se baseia em modelos que "não têm nenhuma adesão à realidade".
Se os entendidos fossem pobres, já há muito que teriam entendido isto. Ou então perguntavam-me e eu tinha-lhes explicado. Quanto ao zequinha do PS, que vai descolar hoje, pois que fique sabendo que também já vem tarde.

Vem aí mais merda

A RTP vai logo à noite ao primeiro-ministro. Reparem que não é o primeiro-ministro que vai à RTP, mas isso é apenas um pormenor que nos custa a todos mais uns milhares de euros. E é também cobardia. Por outro lado, não sei se quem vai falar na televisão é o alegado chefe do Governo ou o Pedro cidadão e pai. Se for o Pedro cidadão e pai, então o pormenor deixa de ser pormenor. Passa a crime.
Preparem-se, em todo o caso. Fale um ou fale o outro, vem aí mais merda. É um dom que Passos Coelho tem.

Mais dos mesmos

Luís Filipe Menezes avança para o Porto. Valentim Loureiro diz que vai a votos em Gondomar. E em Matosinhos o PS já anda à pancada. Quer-se dizer: não há novidades.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Dia do Porto de Leixões

É sábado. O porto abre as portas à população, prometendo festa para toda a família. Ver aqui o programa completo das actividades.

Quando Pizarro ocupou o lugar para deficientes

A propósito: recordo aqui, democraticamente, aquela vez em que o carro do socialista Manuel Pizarro, então secretário de Estado da Saúde, estacionou num lugar destinado a deficientes, na portuense Rua de Latino Coelho. O fotógrafo estava lá (creio que era o Leonel de Castro, do JN), mas não houve detenções.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Aguiar-Tinto

Imagem TVI

O advogado António Vilar foi detido e identificado, no Porto, após fotografar um carro que anda ao serviço do ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco. A notícia é da TVI, replicada pelo jornal Público.
O carro era um Alfa Romeo preto da PSP, descaracterizado, e estacionava no sítio do costume, em cima do passeio da rua do escritório de advocacia de Aguiar-Branco, onde o governante vai despachar assuntos particulares às segundas e sextas-feiras. Às terças, quartas e quintas, o advogado-ministro dá lições de moral ao País. Está tudo bêbado, não está?

Obviamente para adubar os tomates

Relacionado com o texto abaixo. Um homem de 87 anos foi detido no aeroporto de Lisboa pela posse de quase dois quilos de cocaína. De acordo com a PSP, o idoso tinha o produto "dissimulado na zona abdominal". Obviamente para adubar os tomates. Se fosse marijuana, era um perigo.

E só agora é que avisam?

"Risco de cancro nos testículos é elevado com marijuana e menor com cocaína", informa um estudo americano hoje divulgado.

O céu está em obras

Foto Hernâni Von Doellinger

domingo, 9 de setembro de 2012

O problema não é a explicação. É a governação.

Foto Hernâni Von Doellinger

Dois dias depois e sem jogo da Selecção, Marcelo Rebelo de Sousa fez hoje na TVI a segunda parte do discurso de Pedro Passos Coelho. Visivelmente encaralhado, o Professor acertou em tudo menos no essencial (como de costume). Marcelo diz que a coisa correu mal, na sexta, porque o primeiro-ministro não soube explicar. Mas não. As coisas correm-nos mal todos os dias porque o primeiro-ministro não sabe governar. E porque o alegado líder da oposição é um tó-zé. Um tó-zequinha.

A procissão do Passos

O frigorífico pifou. Não tenho dinheiro para comprar outro, mas não há crise: eu andava a viver acima das nossas possibilidades. A minha querida avó de Basto nunca teve frigorífico e passou bem quase toda a vida sem electricidade. Portanto vou deixar de ter frigorífico e pondero também deixar de ter electricidade. E de comer. É o meu contributo para a criação de emprego em Portugal.

sábado, 8 de setembro de 2012

Gaia, a do nome e renome. Sabia?

                                                                                            Foto GASPAR DE JESUS

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A lata que o Passos tem

O alegado primeiro-ministro de Portugal chegou-se ao microfone e disse: "Portugueses, boa noite". Depois fodeu-nos. Boa noite? Para quem?

Fome e circo

Vai ser um fim de tarde em cheio. E com transmissão televisiva: às 19h15, mais austeridade; às 19h45, futebolzinho. Viva Portugal!

E se fossem normalizar a puta que os pariu?

O bacalhau, tal qual o conhecemos, pode estar em vias de extinção. A vida ou morte do nosso bacalhau, do bacalhau português, do bacalhau do nosso contentamento, está nas mãos da Comissão Europeia, que, empurrada pelo lóbi nórdico, discute por estes dias uma proposta que visa normalizar o processo de cura, introduzindo químicos (fosfatos) para alegadamente evitar a oxidação do produto. Do produto...
A sanha normalizadora da Comissão Europeia chegou à seca. Que seca! Querem roubar-nos o nosso mais fiel amigo. Querem acabar com a indústria portuguesa do bacalhau, que conta com 83 empresas e emprega 1.800 pessoas. Querem obrigar-nos a comer bacalhau à la Noruega, que não serve para fazer alguns dos nossos mais tradicionais e emblemáticos pratos, a começar logo pela punheta.
As colheres de pau não lhes chegavam. Tinham que nos foder também o bacalhau. Com licença de José Saramago, e se fossem normalizar mas é a puta que os pariu?

(Texto escrito e publicado em 10 de Fevereiro e republicado em 19 de Maio.)

Florença by telemóvel 3

                                                                          Foto ORLANDO VON DOELLINGER


                                                                          Foto ORLANDO VON DOELLINGER
                                                                          Foto ORLANDO VON DOELLINGER

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

A ciência (e o jornalismo) em todo o seu rigor

"Dormir mal pode ser um sinal de Alzheimer". Poderá. Mas também pode não ser.

O vice-presidente que gosta de dar a táctica

A Selecção portuguesa joga amanhã com a selecção do Luxemburgo e na próxima terça-feira com a selecção do Azerbaijão. Humberto Coelho, vice-presidente da FPF, deu hoje a táctica, embora ainda sem revelar o onze inicial que escolheu: "Nestes jogos temos de ser mais físicos, porque os adversários vão correr muito. Temos de ser mais fortes do que eles".
Foram vacuidades assim, de mesa de café, que tornaram famosos os comentários de Humberto Coelho na RTP. Como treinador devia estar ao mesmo nível, e por isso é que é vice-presidente da FPF.
Espera-se agora, com grande ansiedade, a comunicação de Paulo Bento, que abordará a problemática do Regimento do Conselho de Justiça da FPF.

Onde páram as crianças... ou as mochilas?

As notícias dizem isto: António Parada, presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos, está a dar uma mão a duas empresas que criaram e vendem uma mochila escolar com um dispositivo de GPS que alegadamente permite aos pais localizar e "controlar" os filhos. Por cerca de 300 euros a unidade. E contra isso nada.
Parada, socialista e assumido candidato a candidato à Câmara de Matosinhos nas eleições do próximo ano, explica que, através deste produto, os pais montam uma "cerca virtual de segurança", considerada a zona onde as crianças poderão circular sem perigo, sendo que, assim que esta delimitação for ultrapassada, de imediato os encarregados de educação são avisados. "O pai recebe um SMS a informar que o filho não está no percurso habitual e que algo de errado se está a passar. Através de uma palavra-passe e um sistema informático, irá detectar online onde a criança de encontra", concretiza o autarca.
A vida está difícil, quase já não há empregos fora da política. Cada um vai à luta com o que tem e António Parada não tem oficinas municipais para reparar ambulâncias dos bombeiros como Guilherme Pinto, o outro desesperado. Parada tem o GPS, mas creio que se enganou no caminho: se bem percebo as notícias (e dei-me tempo para tentar perceber), o negócio que ele promove serve para localizar mochilas, não crianças. Mochilas que podem ser roubadas, perdidas, esquecidas, abandonadas, procuradas, localizadas e encontradas num lugar qualquer. Mas não quer dizer que as crianças também lá estejam. Mochilas que até podem fazer o "percurso normal", dentro da "cerca virtual de segurança", mas as crianças não. A não ser que os pais implantem o GPS no pescoço dos filhos. E esse há-de ser certamente o passo seguinte. Esperem pelo Parada.

Florença by telemóvel 2

Foto ORLANDO VON DOELLINGER

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O homem certo depois do elogio certo

Alberto da Ponte, homem ligado ao mundo da produção e venda de cerveja, disse, aqui atrasado, a propósito de Pedro Passos Coelho: "Temos, francamente, um excelente primeiro-ministro. Na minha opinião, é talvez, depois de Sá Carneiro, o melhor primeiro-ministro que tivemos em Portugal. Digo-o sem dúvida nenhuma, porque é um homem que tem uns nervos de aço e uma capacidade de encaixe e uma frieza que são absolutamente extraordinárias". Coitado do Sá Carneiro e coitados dos nervos de aço. Se ainda ao menos fossem colhões.
Hoje consta que Alberto da Ponte, o da Central de Cervejas, foi escolhido pelo Governo de Pedro Passos Coelho para novo presidente do Conselho de Administração da RTP. Está certo. Sai mais uma caneca, sefaxavor.

Para que não haja confusões

"No Bloco de Esquerda os militantes não andam atrelados", sublinha João Semedo. E faz bem. Principalmente agora que se prepara para emparelhar com Catarina Martins na liderança do partido.

Florença by telemóvel

Foto ORLANDO VON DOELLINGER

terça-feira, 4 de setembro de 2012

A Manhã, um semanário para Gondomar

O semanário A Manhã vai ser apresentado no próximo dia 12, quarta-feira, pelas 18h30, na Biblioteca Municipal de Gondomar. Matias Alves, presidente da Assembleia Municipal de Gondomar, e Manuel Carvalho, subdirector do jornal Público, são os oradores convidados.
A Manhã, que se apresenta como "jornal de informação do concelho de Gondomar", é aposta de uma cooperativa recentemente constituída por jornalistas profissionais da zona, segundo disse à Lusa fonte ligada ao projecto.
Com 24 páginas a cores, o semanário pretende ser "uma referência na informação regional e concelhia, assente num jornalismo generalista de qualidade, responsável e atento", sublinhou a fonte. As primeiras duas edições, com cinco mil exemplares cada, terão distribuição gratuita, prevendo-se que as seguintes estabilizem nos três mil exemplares com preço de capa de 50 cêntimos.
O primeiro número sai para as bancas dia 13.

Em Portugal seria impossível

Na Suazilândia, mais de 80 mil virgens dançaram para o rei. Com as purezas praticamente ao léu, as jovens concorriam ao lugar de noiva de Mswati III, um felizardo que já aquece os pés com doze esposas e pode sempre escolher mais uma.
Em Portugal tal cerimónia seria impossível. Não temos rei.

Veneza by telemóvel 2

Foto ORLANDO VON DOELLINGER

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

domingo, 2 de setembro de 2012

Dupond e Dupont

"O PS não está para mais austeridade", disse António José Seguro em Évora. "Temos dado sentido aos sacrifícios", acrescentou Pedro Passos Coelho em Castelo de Vide. Ora ainda bem que estão os dois de acordo. O quê? Acham que não? Então esperem pelo Orçamento de Estado.

A Bola interpõe recurso

Depois de ter andado durante três anos a vender Hulk ao Chelsea (vendeu-o exactamente 823 vezes), o jornal A Bola vai recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto, acusando o FC Porto de ter ficado com o jogador. Na justiça portuguesa, o periódico da Travessa da Queimada exige uma elevada indemnização por perdas e danos.

sábado, 1 de setembro de 2012

Há esperança para Portugal

"Os invertebrados são os organismos vivos mais ameaçados de extinção", escreve o jornal Público. Enfim, nem tudo corre mal.

Às vezes, o futebol


Comecei a ir ao futebol pela mão do meu pai. Íamos ao Campo da Granja ver o Fafe. O Campo da Granja tinha bancada e uma nora atrás da baliza do lado de São Gemil. A nora, neste caso, era um engenho para tirar água de um poço e não funcionava. Mas ficava num altinho muito jeitoso para a assistência. Eu e o meu pai víamos os treinos, os jogos, os juniores em vez da missa (o que arreliava a minha mãe), as reservas e, ao domingo à tarde, o primeiro time. Os domingos à tarde da minha infância eram os melhores dias do mundo. Até tinham altifalantes com marchas do John Philip Sousa! Depois o meu pai deixou de ir à bola, por razão de força maior, mas eu continuei.
O Campo da Granja desistiu para dar lugar a uma escola de pré-fabricados. E foi bom para todos. Ganhámos o ciclo preparatório e um estádio que havia de ser. Apareceu-me o buço e, embora uma coisa não tenha a ver com a outra, passei a acompanhar a Associação para todo o lado, pendurado na generosidade de amigos mais velhos e empregados. Frequentei todos os campos e estádios do Norte do País e, já praticamente de bigode, até fui ao Barreiro arrancar à CUF um lugar nas meias-finais da Taça de Portugal.
Quando mudei a minha vida para o Porto ainda se ia ao futebol em família. Quero dizer: famílias inteiras, com pai, mãe, avós e netos, sobrinhos, primos, namoradas e namorados. Podia-se ir, não era perigoso. Eu fui logo morar para o Estádio das Antas, Superior Norte, porta com porta com o meu tio Zé da Bomba, que já lá morava há que anos. Consegui converter a minha mulher ao FC Porto e passámos a ir à bola os dois, eu e ela com a cesta do merendeiro atrás, porque naquele tempo não havia lugares marcados e para jogos grandes era mesmo preciso entrar de véspera. E quando digo merendeiro quero dizer exactamente merendeiro: frango assado, sandes de vitela ou lombo de porco, panados, bolinhos de bacalhau, bacalhau frito, pataniscas, feijoada, salada russa, iscas de fígado, rojões, moelas de coelho, arroz à valenciana, filetes de pescada, salpicão, presunto e rebentos de soja, uma toalha de linho em cima dos joelhos, uma garrafosa de verde tinto bem fresquinho, ou duas, e uma garrafa de litro de cerveja, ou duas, por causa dos descontos. Entrava tudo. E marchava tudo. Para não virmos carregados para casa. Aquilo é que era futebol!
Se o FC Porto não jogava nas Antas, então eu ia ao Mar torcer pelo Leixões ou ao Bessa ver o Boavista. Aos sábados puxava pelo Salgueiros em Vidal Pinheiro que Deus tem ou matava o vício no campo do Infesta, que me dava falta de ar. Às quartas, dia da minha folga do trabalho, papava campeonatos de reservas, desempates da Taça de Portugal, liguinhas de subida de divisão e torneios de apuramentos de campeões. Em Santo Tirso, em Vila do Conde, na Póvoa de Varzim, em Espinho, em Aveiro, onde calhasse aqui à roda. Havia jogo, eu estava lá. E regalava-me. Mas depois chegaram as claques. E eu vim-me embora.

Às vezes tenho saudades. Tive saudades anteontem ao ver as imagens da Sport TV em Alvalade, momentos antes do início do jogo do Sporting para a Liga Europa. Tocou-me: um avô e dois netos (foi o que me pareceu) agarrados à marmita com o apetite a cem e o sportinguismo a mil. Ali os três que apanhei por acaso, puros, em paz, com espaço, calmamente à espera da capilota prometida, felizes da vida como era eu nos domingos à tarde do Campo da Granja ou nas ceias com a minha mulher lá no degrau mais alto da Superior Norte das Antas. Claro que anteontem em Alvalade era jogo de meia casa e com um adversário de boas-festas. Claro que agora nos estádios só se pode comer plástico. E claro que já não se ouve The Stars and Stripes Forever e o Toni Dantas também não. Mas o resto aqueles três tinham.